25/01/19 em Artigos, Artigos ISO 9001, Artigos ISO TS e IATF 16949, Informativo

Sua organização está certificada na ISO 9001:2015! O que mudou?

0 Flares Facebook 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

Pela minha experiência, demora de dois a três anos para uma organização consolidar em sua plenitude, os conceitos e abordagens da ISO 9001:2015, mas isso se ela tiver foco em aumentar a competitividade e não de manter a certificação.

 

Certificar é fácil, até pelo baixo nível das auditorias de certificação (CLIQUE AQUI e leia nosso artigo sobre); o difícil é implantar um sistema robusto, que constantemente esteja focado em melhorar os processos e aumente a competitividade da organização.

Quais as principais mudanças que a organização deve perceber com a implantação da ISO 9001:2015? Quais os possíveis motivos de ter percebido ou não as mudanças?

A percepção das mudanças, depende do quanto a organização já adotava determinados conceitos e abordagens da norma.

Mudança na Gestão Possíveis motivos de não ter percebido a mudança Possíveis motivos de ter percebido a mudança
A Alta Direção acompanha e analisa os objetivos, metas, riscos dos processos e outros fatores relevantes para os resultados A Alta Direção só está preocupada com o certificado, pois o cliente quer; e/ou não foi educada/ conscientizada suficientemente sobre os benefícios da norma Alguém externo (consultoria) ou interno próximo da Alta Direção conseguiu sensibilizá-la/ conscientizá-la sobre os benefícios da implantação
Os objetivos da qualidade e metas, estão alinhados com a estratégia da organização para mantê-la competitiva no mercado e todos estão engajados em alcança-las Os objetivos da qualidade definidos são praticamente os mesmos de sempre (melhorar qualidade, pontualidade, satisfação dos clientes etc) sem um esforço efetivo para melhorá-los e trazer resultados para o negócio Houve uma análise efetiva do contexto da organização com participação da Direção, Gestores e Pessoal Chave, buscando definir e implementar aquilo que é relevante para aumentar a competitividade do negócio
Não existe mais manual da qualidade nem procedimentos, agilizando as mudanças e melhorias necessárias nos processos Implantação do sistema novo com conceitos velhos, com o pensamento de que um sistema de documentos deixa melhor a organização e fica mais fácil de cobrar, se houver não conformidades Se conscientizou a todos que um sistema de documentos engessa a organização, intimidando as melhorias e mudanças dos processos para torna-los mais baratos, melhores e ágeis
Existe um foco estruturado na prevenção de problemas Não se implantou de forma abrangente a mentalidade de risco, nem são utilizadas ferramentas para aplicação A equipe de gestores e pessoal chave, foi treinada adequadamente em ferramentas para análise de riscos e oportunidades, bem como incorporadas estas ferramentas nos processos para aplicação.
Está se consolidando a Gestão por Processos, desenvolvendo entre outras coisas a multifuncionalidade dos profissionais Ainda se está adotando a gestão vertical ou departamental, na qual as pessoas são cobradas por tarefas e não por resultados A Gestão por Processos está sendo adotada de forma efetiva e já se percebeu, que é melhor para a organização que as pessoas sejam o máximo possível multifuncionais
Não há mais necessidade de alguém ficar tempo integral para cuidar do sistema (antigo RD – Representante da Direção) Possivelmente a documentação e forma de evidenciar os requisitos está complexa e os gestores não estão de fato gerindo os processos Com a simplificação da documentação, treinamento e capacitação dos gestores, a gestão do sistema ficou mais fácil, pois cada gestor conhece seu processo e sabe o que precisa ser feito para atender aos requisitos da norma e as necessidades da organização
As auditorias internas são mais rigorosas e apresentam resultados que apontam apropriadamente tanto as falhas e inconsistências dos processos, como os pontos fortes, estabelecendo uma referência para correção e melhoria dos processos, ao invés de se ater a preenchimento ou não de documentação A equipe de auditores internos não tem perfil adequado para realização das auditorias não possuindo conceitos e experiências de: todos os requisitos da norma, planejamento estratégico, análise de riscos e oportunidades, métodos de solução de problemas, gestão de mudanças, gestão por processos, comunicação e outras. As auditorias internas são terceirizadas ou realizadas por pessoal de outro site da própria organização, por profissionais altamente qualificados e experientes preferencialmente em gestão, com perfil apropriado.

 

Se uma organização era certificada na ISO 9001:2008, que era praticamente igual a ISO 9001:2000 e tem a percepção de que não mudou quase nada, não é porque as mudanças que na prática demoraram 15 anos para acontecer não foram grandes, mas sim porque não assimilou a nova versão com a profundidade que precisava.

Não é porque uma organização está certificada, que possui um sistema robusto. Ter o certificado é uma coisa; já ter um sistema robusto, é outra completamente diferente.

 

Escrito por:

Araújo

Diretor Técnico da ACT Consultoria & Treinamento

E-mail:  araujo@actconsultoria.com.br

 

 

0 Flares Facebook 0 LinkedIn 0 0 Flares ×