13/04/18 em Artigos ISO 9001, Notícias, Novidades

Implantar a ISO 9001:2015, sedimentando seus conceitos, significa adotar a mudança como uma rotina!

 

Um dos princípios da ISO 9001:2015 é a “Melhoria”; e para melhorar qualquer processo, só é possível promovendo mudanças, por mais simples que sejam. Isto conflita com a prática, daqueles que ainda não desapegaram, de adotar procedimentos em seus sistemas de gestão.

Vou reforçar mais uma vez: “isto é uma prática ultrapassada”; “isto engessa a empresa”; e como diria Odorico Paraguaçu: “Isto atravanca o progresso”.

É lamentável:

  • Profissionais responsáveis ou contratados pela implantação de sistemas de gestão, não se prepararem adequadamente para implantação da nova versão da norma, que na prática não mudava desde a versão 2000;
  • Organizações buscarem o certificado como principal objetivo, ao invés de adotarem as boas práticas de gestão inseridas na Norma, na forma de requisitos. Implantar a norma, apenas para obter o certificado, em geral aumenta os custos da organização;
  • Auditores de Organismos de Certificação não serem atualizados em relação à conceitos de sistemas de gestão, desconhecendo suas práticas e realizando auditorias superficiais e sem profundidade em relação a resultados;

Organismos Certificadores e outras empresas oferecerem softwares para implantação da norma, ignorando o fato de que a norma não é um sistema de documentos, mas sim de gestão, que requer mudança comportamental, visão de processos e engajamento, entre outros fatores.

O que precisa acontecer, para uma organização transformar a mudança numa rotina?

  • Definir claramente os processos do negócio que afetam a satisfação dos clientes e seus resultados;
  • Treinar os Gestores em ferramentas  adequadas de soluções de problemas, tomadas de decisão, riscos, melhorias e ações corretivas, para que incorporem e disseminem estas práticas no dia a dia da organização;
  • Facilitar o trabalho dos Gestores, de forma que tenham autonomia para atuarem junto aos departamentos e profissionais envolvidos com o processo, deixando a hierarquia em segundo plano, dando foco aos resultados dos processos com engajamento das pessoas;
  • Desburocratizar totalmente os processos, eliminando procedimentos e etapas que não agregam valor, tornando os processos baratos, rápidos e com qualidade, pois agregar valor aos processos, está vinculado a estes três pilares;
  • Engajar todos os colaboradores com as metas e bom funcionamento dos seus respectivos processos, análise de riscos e melhorias, pois isto irá tornar a mudança uma rotina, abolindo o medo que intimida a iniciativa e criatividade das pessoas.

É prazeroso para nós, já conseguirmos visualizar alguns de nossos clientes, incorporando a mudança como uma rotina, permitindo aos gestores gerirem seus processos, reduzindo conflitos entre departamentos e motivando o trabalho de equipes que são multifuncionais; proporcionando melhor direcionamento dos esforços e recursos da organização, tornando o sistema de gestão da qualidade, como fator crítico de sucesso para os resultados do negócio, ao invés de um sistema à parte e burocrático.

A organização que implantar esta norma e não alcançar tais mudanças, é porque ou implantou mal o sistema, ou ele ainda está engatinhando como modelo de gestão e vai precisar de injeção de comprometimento com a mudança, para não retroceder. Lamentamos esta visão estar longe de quem tem a responsabilidade de auditar as organizações, que são os Organismos Certificadores, que desta forma poderiam tornar seus clientes mais competitivos, ao invés de apenas certificados. Sistemas certificados sem esta robustez, é como você se formar numa escola ruim, pois tem o certificado, mas não tem o conhecimento, já que as provas são no mesmo nível do que se ensina.

 

Por: Araújo, Manoel Maurício de Souza – Diretor Técnico da ACT Consultoria & Treinamento

Críticas, Elogios e Comentários: araujo@actconsultoria.com.br

Informações: contato@actconsultoria.com.br   Telefone: (11) 4227-2211